SOBRE NÓS

A Catedral da Sé é a “Igreja-Mãe” da Arquidiocese de São Paulo, nela se realizam as mais importantes celebrações litúrgicas da Igreja Católica. Nela também são realizadas celebrações ecumênicas e encontros inter-religiosos, bem como concertos musicais e eventos de grande importância para a vida da cidade.

LOCALIZAÇÃO

(11) 3107-6832 | (11) 3106-2709

 

Praça da Sé, s/n - Centro 

São Paulo/SP - Brasil

CEP 01001-000

 

CONECTE-SE
  • facebook - catedral
  • instagram - catedral
  • twitter - catedral

© 2020 Catedral Metropolitana de São Paulo

O QUE É A CRIPTA?

Capela subterrânea que abriga 30 câmaras mortuárias, a cripta fica 7 metros abaixo do nível da praça da Sé. Acessível por duas escadas localizadas nas laterais do altar-mor e presbitério da Catedral, a cripta tem 365 metros quadrados e foi projetada em formato de cruz.

Na nave central, atrás das escadas, estão localizados os túmulos do Padre Diogo Antonio Feijó, regente do Império do Brasil entre 1835 e 1837, e do índio Tibiriçá, cacique da tribo tupiniquim que habitava a região de Piratininga na chegada dos portugueses, em 1554. Os dois mausoléus, verdadeiros monumentos, são a “alma da história da cidade de São Paulo” na cripta da Catedral, como consta no relatório das obras da Catedral do ano de 1918.

Além dos restos mortais de todos os bispos da fase diocesana de São Paulo  (entre 1745 e 1908, quando a cidade ainda fazia parte da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro), está sepultado na cripta da catedral o Padre Bartolomeu de Gusmão, que inspirou um dos personagens principais do livro “Memorial do Convento”, do escritor português José Saramago. Acusado de bruxaria por seus contemporâneos e denunciado à Inquisição, Padre Bartolomeu é considerado o inventor do balão.

O corpo do Cardeal Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo entre os anos 1970 e 1998, foi o último a ser sepultado na cripta, em 2016. Reconhecido internacionalmente por contribuir para o fim das torturas durante o Regime Militar brasileiro e ajudar o País no processo de redemocratização, Dom Paulo é também o primeiro Cardeal sepultado na cripta.

O Cardeal Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, arcebispo de São Paulo entre 1944 e 1964, está sepultado na cripta do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, onde foi arcebispo no fim da vida, e o Cardeal Agnelo Rossi, arcebispo entre 1964 e 1970, está sepultado na Igreja Nossa Senhora de Guadalupe, em Campinas (SP), sua cidade natal.