A Palavra do Cura – Junho de 2012

Caros leitores de A Voz da Catedral, neste mês de junho a Igreja Católica apresenta-nos uma riqueza de Celebrações em que participamos ativamente, com nossa fé, piedade e grande devoção.

Iniciamos o mês com a Solenidade do Corpo e do Sangue de Cristo (do latim Corpus Christi), que é celebrada na quinta-feira logo após o Domingo da Santíssima Trindade. Esta solenidade foi instituída pelo Papa Urbano IV em 11 de agosto de 1264, com a Bula Transiturus, a partir da tradição iniciada depois que a Irmã religiosa Juliana de Mont Cornellon teve visões da Virgem Maria, pedindo para que fosse realizada uma grande festa para honrar o Corpo de Jesus na Eucaristia. Esta celebração tem três finalidades: honrar Cristo, pedir perdão pelo que foi feito a Ele e protestar contra aqueles que negam a presença do Senhor na Hóstia Consagrada.

Em nossa Arquidiocese, celebramos com muito entusiasmo neste dia 7 de junho com uma grande Procissão e uma Solene Missa na Praça da Sé. Na parte da tarde praticamente todas as nossas Comunidades celebram a Missa em suas Igrejas.

Ainda neste mês temos a Festa dos três santos populares: Santo Antonio, São João Batista e São Pedro. Pelo culto dos santos, a Igreja celebra sempre o mistério pascal. Os santos revelam o mistério de Cristo e conduzem a Ele. Eles constituem, por assim dizer, o Evangelho vivido. E assim nós também devemos ser como eles, são os nossos exemplos de vida em Cristo.

Entre estes três santos comemorados, destacamos Santo Antonio de Lisboa, ou de Pádua, o Santo do mundo inteiro. Entre nós, simplesmente Santo Antonio. Ele é fonte abundante de Jesus e do Evangelho. Nele, uma multidão de fiéis devotos inspira-se para obter uma vida cristã mais plena. Santo Antonio continua presente, a falar e a transmitir a mensagem do Evangelho, através da maneira como suas imagens geralmente se apresentam em sua devoção popular. Um dos símbolos mais presentes nas imagens do Santo, importante também para a Igreja de nossos dias, dentro da nova evangelização, é o “pão de Santo Antonio”, ou “pão dos pobres”, em referência à algumas imagens do Santo distribuindo pães aos pobres.

São João Batista, o homem mais importante que apareceu anunciando a “conversão” e a “penitência”, antes de Jesus, veio para “preparar os caminhos do Senhor”. Temos nele o exemplo de humildade (“é preciso que eu desapareça para que Ele apareça”), retidão de vida e sobriedade.

Também neste mês temos a Festa de São Pedro Apóstolo, onde a frase de Jesus: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”, coloca-nos em sintonia com a Sé de Pedro, em Roma. Sofreu martírio em 29 de junho do ano 64(ou 67), sob o império de Nero, São Pedro e São Paulo selaram um grandioso testemunho a Jesus: “Por um misterioso desígnio da Providência, é em Roma que ele (Pedro) conclui o seu caminho de seguimento a Jesus, como é em Roma que dá esta máxima prova de amor e de fidelidade. Em Roma, Paulo, o Apóstolo dos gentios, dá também o seu testemunho supremo. A Igreja de Roma tornava-se assim a Igreja de Pedro e de Paulo” (Ut unum sint,90). Nossa Arquidiocese tem como patrono São Paulo, por isso o celebramos em 25 de janeiro, data comemorada pela sua Conversão a Jesus. No primeiro domingo logo após o dia 29 de junho celebra-se na Igreja São Pedro e São Paulo, o “Dia do Papa”. É o único dia em que todas as Igrejas católicas do mundo inteiro fazem uma coleta para ser encaminhada ao Vaticano, onde o Santo Padre destina esse dinheiro aos países onde tem catástrofes, socorre os mais pobres etc.

Caros amigos leitores, temos, portanto, muito a celebrar neste mês. Que Deus os abençoe ricamente, bem como a toda a sua família.

Côn. Walter Caldeira
Cura da Catedral

Deixe um comentário.

 

 

 

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>